segunda-feira, 23 de abril de 2012

Coleção Outono/Inverno 2012

Já comprou roupinhas de inverno para o Bebê?
A Coleção Outono/Inverno 2012 na loja Novo Bebê está de arrasar.
Conjuntos, macacões, saída de maternidade, vestidos, tudo para deixar o seu bebê na moda e aquecido.
Confira abaixo alguns modelos:


Menina: Macacão com Bolero Charm Flowers - Bege - Zigmundi compre aqui
Menino: Conjunto Masculino Bear Navigator - Azul - Zigmundi compre aqui


Menino: Conjunto Plush Urso - Azul - UpiUli compre aqui
Menina: Conjunto Feminino Bunny in The Garden - Goiaba - Zigmundi compre aqui


Menino: Macacão com Casaco Otávio - Beth Bebê compre aqui
Menina: Macacão com Casaco Livia - Beth Bebê compre aqui



Menino: Macacão Plush Listras Urso - Azul - UpiUli compre aqui
Menina: Conjunto Bolas Mini - Rosa - UpiUli compre aqui


Para ver a Coleção completa da Coleção Outono/Inverno clique aqui

Moda para grávidas: o guarda-roupa básico da gestação

Confira em quais peças vale a pena investir para montar um armário que acompanhe o crescimento da barriga, com muito estilo

Deborah Bresser para IG


  Foto: Divulgação / Looks da coleção Emma Fiorezi: modelagem estudada para acompanhar o crescimento da barriga

Desista. Se você está grávida, mais dia, menos dia, suas roupas não vão mais servir e você terá de comprar peças adequadas à nova condição do seu corpo. “O principal erro das mães, principalmente as de primeira viagem, é querer comprar roupa um número maior”, alerta Daniela Lobo, proprietária da Zazou, loja especializada em roupas para gestantes. Achar que roupa de gestante é um desperdício, uma bobagem, e que um manequim a mais resolve é uma equação equivocada.

“Elas acham que vão conseguir usar as roupas que têm no armário, e um dia se dão conta de que nada mais serve”. Claro que ninguém precisa montar um guarda-roupa inteiro com roupas de gestantes, é um estado passageiro, mas que exige conforto ao se vestir. Nas mães de primeira gestação é comum a barriga demorar um pouco mais a aparecer, mas os seios logo exigem atenção. Eles aumentam, ficam doloridos, e pedem lingeries mais reforçadas, de alças largas e com boa sustentação.

No terceiro, quarto mês, mesmo quem está grávida pela primeira vez começa a perceber que a circunferência da cintura e da barriga não é mais a mesma. As calcinhas também devem acompanhar a nova silhueta, assim como os jeans, as calças e as camisas. “Roupa de grávida tem uma modelagem feita para o crescimento da barriga”, explica Daniela.

Ivone Nani, da grife Emma Fiorezi, há 25 anos no mercado de gestantes, também lembra que as grávidas só tem um formato de corpo diferente, mas mantêm a personalidade. “Sempre desenvolvemos a modelagem com esse cuidado, para não ser uma capa para cobrir um corpo, como se fazia antigamente. Cada cava, cada decote, tudo é estudado profundamente para acompanhar a modificação da silhueta feminina”, garante Ivone.

“Elas precisam provar para entender a diferença”, diz Daniela, em tom de convite. Só vestindo é que a gestante vai perceber o quanto os detalhes fazem diferença no conforto e no contorno de seu novo corpo. “Tem as que preferem jeans que tem malha só no bolso, e só o bolso estica. As peças têm ajustes de elásticos, que podem acompanhar o crescimento da barriga. Tem aquelas que gostam das calças com elástico e malha na volta toda. Quando vestem, costumam perceber que era tudo o que precisavam... e não sabiam.”

Para uma grávida que engorda no ritmo sugerido pelos médicos, de 9 a 12 quilos, a numeração dela não muda. Se era 42, será 42 de gestante. E a tendência é a roupa servir até o final. Daniela ressalta que as peças são confeccionadas com esse propósito. Dos tecidos aos aviamentos, tudo é escolhido para resultar em roupas duráveis. Caso ela engorde além do previsto, essa matemática não fecha, e ela vai ter de mudar de numeração, pois além do alargamento do quadril, do crescimento do peito e da barriga, estará ganhando volume no resto do corpo.

“Antigamente, se vendia muito G, extra G. As mulheres comiam por dois, havia um mito de que a mãe engordar trazia benefícios ao bebê. Hoje, elas fazem acompanhamento nutricional e querem se sentir bem grávidas. Os filhos também são mais planejados, e há um desejo de exibir a silhueta da gestante. Nós temos roupas para todas as ocasiões da vida da mulher grávida, em tamanhos P, M e G, na linha casual e noite, além de homewear”, informa Ivone, da Emma Fiorezi. Confira, a seguir, algumas dicas para montar um guarda-roupa básico para passar a gravidez com conforto e estilo.


Foto: Reprodução / Compra básica: uma calça jeans específica para gestantes


PEÇAS CURINGAS
1 calça preta (legging ou de alfaiataria)
1 calça jeans
1 calça caqui
1 camisa branca (pode montar looks mais clássicos ou mais casuais)
1 vestido preto de malha (mudando os acessórios, pode ser usado no dia a dia e até em um coquetel à noite)
1 camiseta branca

DICAS
Busto: sempre fica maior, pode abusar dos decotes.
Barriga de fora: não é indicado. Se a grávida estiver no fim de semana, na praia, com a família, tudo bem. Mas, na cidade, não é preciso se expor dessa maneira. “A grávida já é muito solicitada, todo mundo pergunta o sexo, para quando é, de quanto tempo ela está... já tem de dar muita informação. É melhor se manter mais reservada no visual”, aconselha Daniela, da Zazou.
Salto alto: se ela estiver acostumada, tudo bem, mas o melhor são os saltos menores, de 4 cm , 5 cm. A gestação altera o centro de gravidade da mulher, muda o ponto de equilíbrio, e o salto não ajuda. O melhor é abusar das rasterinhas, sapatilhas, sem falar que algumas gestantes têm inchaço nos pés e o ideal são sapatos que não apertem muito e que não tenham elásticos.
Lingerie: ela deve procurar as calcinhas com sustentação na barriga. Deixe o fio dental para outros momentos da vida. Hoje em dia há linhas de lingerie pensadas para grávidas, é possível se olhar no espelho e se sentir bem.
Cintura: a medida abaixo do busto é a cintura da grávida. Ela não se altera na gestação e o uso de peças com corte império ajuda a delimitar a diferença do busto com a barriga. A grávida fica com uma silhueta mais elegante. Marcar o fim da barriga também é indicado para quem quer valorizar a barriguinha.


Fonte:  IG


quarta-feira, 11 de abril de 2012

7 dicas para voltar ao trabalho e continuar amamentando

A ansiedade pode bater e é normal. Mas algumas medidas podem ajudar você a voltar à ativa e garantir o aleitamento

Ana Paula Pontes

Depois daquele seu receio inicial se conseguiria amamentar, os meses passam e o aleitamento se torna algo mais fácil. Então, você se depara com os dias de volta ao trabalho se aproximando e bate aquele aperto no peito se manter a amamentação será mesmo possível. Fique tranquila! Em primeiro lugar, converse com o pediatra do seu filho para ele orientar sobre a alimentação do bebê. Para as mães que têm o direito à licença-maternidade de 6 meses, nessa mesma fase, o período de aleitamento exclusivo termina, e a criança já começa a experimentar novos sabores. Saiba que com um pouquinho de organização e preparação alguns dias antes vai dar tudo certo.


A retirada
Você tem três opções: manual, bombinha manual e elétrica. Não há um jeito mais eficaz, e sim aquele ao qual você se adapta melhor. Há mulheres que tiram com a mão e sai mais do que com auxílio de bombinhas. Se optar pela elétrica, saiba que ela é mais cara, mas você pode ser aluga da (busque na internet algum site que ofereça o serviço na sua região). Um cuidado especial: para não machucar o mamilo, nunca deixe que a pressão do acessório seja forte demais.



Banco de leite em casa

Comece a guardar o alimento do seu filho 15 dias antes de retornar ao trabalho. Isso vai deixar você mais tranquila. Lembre-se de guardar o leite em frascos de vidro e esterilizados (basta fervê-los por 10 minutos e deixar que sequem naturalmente sobre um pano de prato limpo). Na geladeira, pode ser guardado por, no máximo, 24 horas e no freezer, por 15 dias. Coloque etiquetas com a data do dia que retirou o leite para usar primeiro os frascos que estão por mais tempo. O melhor é retirar o leite excedente após as mamadas ou aguardar uma hora e meia depois que o bebê for amamentado, para dar tempo de encher as mamas novamente.


Mamadeira já?

Você tem receio de o seu filho não aceitar o leite na mamadeira ou no copinho? Não fique aflita! Para não aumentar a ansiedade das mães, alguns médicos acreditam que não é necessário esse "treino" antes de voltar ao trabalho. Afinal, na hora que bater a fome, o bebê vai mamar. Outro detalhe é que perto de você, ele vai preferir o peito e, provavelmente, vai recusar a mamadeira. Mas, se ficar mais tranquila de saber que ele pegou a mamadeira ou o leite no copinho, peça, então, para que uma outra pessoa faça isso por você uns dias antes do retorno ao trabalho. Pode ser a babá que vai ficar com ele, sua mãe, uma amiga. O importante é ele não notar sua presença naquele momento. Ele vai resmungar, mas é normal. Também não tenha medo de que ele irá desistir de mamar no seu peito porque está tomando a mamadeira ou copinho. Continue com a amamentação em casa nos horários em que estiver (a sucção do bebê é o melhor estímulo para a produção do leite), como pela manhã e ao chegar. Se ele estranhar um pouquinho, faz parte. E relaxe!


No trabalho...

Momento só seu

O ideal é você retirar o leite no trabalho mais ou menos nos mesmos horários em que ele mamaria. Mas, como a gente sabe que isso nem sempre é possível, escolha um momento mais tranquilo ou quando perceber que as mamas estão cheias. Procure um local agradável e sem muitas pessoas por perto. Lave as mãos, prenda os cabelos e evite falar enquanto tira o leite. Nessa hora, foque o pensamento no seu bebê, nos momentos gostosos em que estão juntos, nas risadas que ele dá para você. Vai fazer diferença!


Roupa adequada

Para facilitar o momento da retirada do leite, opte por blusas com abertura na frente. Você vai se sentir melhor. Deixe os vestidos e blusas mais fechados para usar em outros momentos.


Alimentação e hidratação

Não é porque você voltou ao trabalho que deve relaxar com a sua saúde. Muito pelo contrário. Para ajudar na produção de leite, você precisa tomar bastante líquido (deixe uma garrafa grande na sua mesa) e fazer um lanchinho no meio da manhã e da tarde. E um exercício diário (apesar de, claro, não ser nada fácil): não deixe o estresse do dia a dia contaminar esse momento da maternidade.


Como guardar
No trabalho, você vai precisar deixar esse leite armazenado em uma geladeira até o horário de ir embora. O ideal é que ele fique longe de alimentos que cheiram demais, como embutidos ou temperos. O leite materno adere aos cheiros e o bebê pode estranhar. Para transportá-lo para casa, coloque o frasco em uma bolsa térmica e depois transfira rapidamente para o freezer. 


Fonte: revistacrescer.globo.com 

terça-feira, 10 de abril de 2012

Nova Coleção Bolsa Masterbag - Classic Matelassê

Chegaram as novas bolsas da Masterbag da Coleção Classic Matelassê.
Com detalhe matelassado e metais dourados deixando a bolsa ainda mais charmosa e sofisticada.
São malas de maternidade, malas para viagem e bolsas de bebê média e pequena para os passeios do dia-a-dia.
Nas cores Rosa e Fendi.
Você encontra as bolsas à venda na loja virtual Novo Bebê clique aqui